"Uma lenda, duas lendas, tantas lendas…" – Alan



Narciso
Diz a lenda que muitos anos atrás morava em uma floresta Narciso, um homem egoísta e vaidoso.
Ele dizia que jamais se apaixonaria por alguém, jamais seria ferido pelas flechas de Eros.
Um dia Narciso sentiu que alguém estava perto dele e foi logo perguntando:
_Quem está se escondendo aqui? _ perguntou Narciso.
Uma ninfa chamada Eco,que tinha esse nome porque só podia falar só as ultimas silabas, respondeu:
_ Aqui.
_ Vamos apareça _ ordenou Narciso. _ Quero ver você.
_ Ver você! _ repetiu a ninfa.
Eco aproximou-se do rapaz, mas nem a beleza dela conquistou Narciso.
_ Dê o fora! _ gritou Narciso. _ Por acaso pensa que eu nasci para ser um de sua espécie? Sua tola.
_ Tola! _ repetiu Eco chorando.
A deusa do amor não poderia deixar Narciso impune depois de fazer essa maldade.
Um dia Narciso sentiu sede e foi beber água, quando se debruçou, Eros atingiu-lhe uma flecha.
Narciso acabou se apaixonando pelo seu próprio rosto. Ficou dias e dias até morrer ali mesmo.
Eco ficou chorando ao lado de Narciso até amanhecer. Narciso não estava mais lá, mas no lugar dele havia uma linda flor que hoje é chamada de narciso, a flor da noite.

Reescrito por Alan Junio de Souza

Anúncios

One thought on “"Uma lenda, duas lendas, tantas lendas…" – Alan

Obrigada pela visita! Seu comentário será publicado após aprovação.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s