Jogo das quatro operações

Neste jogo de tabuada você vai ter que ter que pensar rápido. Além de precisar acertar os resultados das operações ainda é necessário prestar atenção para o tempo não terminar.

Para jogar, clique aqui: http://www.tabuada.org/jogos-de-tabuada.php

Fonte: http://www.tabuada.org/

Anúncios

Sequência didática “Estudo da ortografia” – ATIVIDADE 1: LENDO O POEMA E COMENTANDO (Ler e Escrever)

20121127Sem título

 

Qual a sua opinião sobre o poema?

 

Eu achei este poema engraçado… Como um namorado pode falar isso para uma namorada? E ainda a chamar de lagartixa e louca? Eu acho que… o jovem não queria dizer aquilo que a jovem entendeu, mas sim que ela era diferente, e bonita como uma lagartixa listada.

(Julia, 9 anos)


Eu achei engraçado, imagina um homem chegar na moça e falar que ela parece uma lagartixa listada, a moça ia ficar fora de si…

            Achei muito interessante e com humor.

            Esse escritor é muito engraçado, e criativo também…

(Tais, 9 anos)


            Eu achei esse poema muito legal porque ele fala sobre amor e sentimentos, como quando ele falou que ela parecia uma lagartixa listrada só que ela não entendeu o que ele quis dizer. Ele simplesmente estava morrendo de amor por ela!

(Hiago, 10 anos)


Se você ler bem, você vai ver que ele não queria falar mal dela, e sim elogiar a sua beleza e não xingá-la de lagartixa.

(Henrique, 10 anos)

 

Eu achei esse poema legal, mas só tem um problema, como uma mulher pode parecer uma lagarta?… Mas de uma coisa esse poema tem razão, se a gente vê, por exemplo, uma coisa que não conhecemos, é claro, não vamos parar de olhar, não é verdade?

(Matheus, 10 anos)


Eu achei esse poema muito legal e interessante, porque ninguém pode ser igual a uma lagartixa, só se for feia e desengonçada.

            Ele devia explicar para sua namorada que só estava tentando elogiar.

(Ana Clara Mura, 9 anos)


Eu achei esse poema muito romântico. Ele fez um gesto muito legal para a moça. Eu achei engraçado quando ele falou que ela era uma lagartixa listrada, mas no final ela vai virar uma borboleta.

(Ana Clara Pereira, 10 anos)


Eu gostei muito desse poema, ele é muito engraçado. Como será que alguém se sente se alguma pessoa te chamar de algum animal, sei lá do que mais? Eu não iria gostar e você iria? Eu acho que não, hein?

(Manuela, 10 anos)

 


Eu achei um poema legal e engraçado, porque às vezes a gente olha alguma coisa e não tiramos os olhos dela.

            E eu nunca ouvi falar de uma moça parecendo uma lagartixa.

            Quando li esse texto achei engraçado e também senti coisas de amor.

(Marieli, 10 anos)


Eu acho que esse poema é amoroso, legal e engraçado, mas na verdade eu acho que o namorado da moça devia ter contado para ela que estava apaixonado, porque assim ela iria ver que ele só estava a elogiando, mas como ela não entendeu, ficou muito brava. Se tivesse entendido, saberia que ele só queria dar um elogio.

(Ludimila, 10 anos)


Sinto como a Mariana de 10 anos, é engraçado como uma lagarta porque o amor do namorado vai florescendo cada dia mais.

            Eu também nunca vi uma mulher como lagartixa.

(José Carlos, 10 anos)


Eu achei que o moço devia explicar para a Antônia porque ela iria ficar feliz e não triste como ficou.

(Leonardo, 9 anos)


Eu achei estranho ele falar que ela parecia uma lagartixa. Mas no final eu acho que ela entendeu mal porque talvez ele só estivesse querendo elogiá-la.

(Vitória, 10 anos)


Eu gostei porque fala que um homem chegou na mulher e disse que ela parecia uma lagartixa listada e também gostei porque é interessante e engraçado.

(Hudson, 10 anos)


Eu achei muito engraçado, é verdade, quando vemos alguma coisa, não conseguimos tirar os olhos do bicho, por exemplo, se nós virmos um rato, ficamos com os olhos em cima dele.

(Maylon, 10 anos)


Eu gostei desse poema porque ele fala que uma moça é uma lagartixa listrada, é muito engraçado.

(Geovani, 9 anos)


Eu achei esse poema muito legal pois eu nunca vi uma mulher parecendo uma lagartixa listrada.

(João Marcos, 10 anos)


Eu gostei muito desse poema porque é muito legal e interessante e fala sobre dois namorados e o homem chama a namorada de lagartixa.

(Natália, 11 anos)

 

Festa em homenagem às mães (PM Macedônia em parceria com as escolas) 11/05/2013

Alunos da EMEF “Felício Luiz Pereira” cantando “Amor de Mãe”

IMG10529

Alunos da EMEF “Felício Luiz Pereira” cantando “Fico assim sem você”

Amor De Mãe

(Anderson Freire)

O teu amor me gera confiança
Me leva sempre ser tua criança
Me confortando nos teus braços
E hoje ainda ouço as tuas falas
As paredes da minha vida até sabem
Palavras fortes que só vem de ti, oh mãe

Muitas vitórias são os frutos de sua oração
A sua torcida é bem maior que uma nação
Ninguém consegue dar o que teus braços me cederam
Um amor maior que minha gratidão

Me sinto num jardim guardado no eu peito
Teu amor de mãe protege o meu coração
Às vezes sem querer percebo no teu jeito de ser
Um cuidado mais que especial
Um jeito de amar tão sem igual

Fico Assim Sem Você

( Abdullah / Caca Moraes)

Avião sem asa,
Fogueira sem brasa,
Sou eu assim, sem você
Futebol sem bola,
Piu-piu sem Frajola,
Sou eu assim, sem você…

Por que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil auto-falantes
Vão poder falar por mim…

Amor sem beijinho,
Buchecha sem Claudinho,
Sou eu assim, sem você
Circo sem palhaço,
Namoro sem amasso,
Sou eu assim, sem você…

Tô louco prá te ver chegar
Tô louco prá te ter nas mãos
Deitar no teu abraço
Retomar o pedaço
Que falta no meu coração…

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo…

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo

Por quê? Por quê?

Neném sem chupeta,
Romeu sem Julieta,
Sou eu assim, sem você
Carro sem estrada,
Queijo sem goiabada,
Sou eu assim, sem você…

Você…

Por que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil auto-falantes
Vão poder falar por mim…

Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas prá poder te ver,
Mas o relógio tá de mal comigo…

Por quê? Por quê? (4x)

 ………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

E depois da apresentação, fomos passear de “trenzinho” 🙂

IMG10530

IMG10531 IMG10533

IMG10534

IMG10535

IMG10536

Foto-0008 (2)

Foto-0009

Foto-0010

Foto-0011

Foto-0012

Foto-0013

SEMANA LITERÁRIA (18 A 22 DE ABRIL) GINCANA

1. Encontrar o envelope escondido.

100_2795

2. Ler as instruções contidas dentro do envelope.

100_2796

3. Escrever um final para a história em dupla (ou trio):

100_2758 100_2757 100_2756 100_2755 100_2754 100_2753 100_2752 100_2751 100_2750

TRÊS MOÇOS MALVADOS

(Versão de um conto popular)

 

Eram três moços malvados. Gostavam de entrar no mato e caçar tudo quanto é bicho. Levavam espingarda de chumbo grosso, espingarda de cartucho e até revólver de dois canos. Ficavam o dia inteiro dando tiro. Matavam arara, papagaio, tucano, bem-te-vi, sanhaço, tiziu, caga-sebo, pintassilgo, joão-de-barro, andorinha, rolinha, sofrê, sabiá, sem-fim e corrupião. Matavam macuco, caburé, curiango, coruja, mutum de penacho. Pica-pau, saíra, graça, quero-quero, socó, jaburu, irerê e pato do mato. E também bicho grande que nem tamanduá, tatu, gambá, bicho preguiça, veado, ouriço, capivara, cotia,paca, preá, anta, macaco, quati, tartaruga, e cachorro-do-mato.

Os três bandidos caçavam por caçar. Matavam por divertimento. Gostavam de ver quem tinha melhor pontaria, quem acertava num tiro só, quem destruía mais.

Um dia, durante a caçada, escutaram uma voz grossa gritando no fundo do mato :

 – Olha o laço!

Os três estranharam. E a voz grossa:

– Olha o laço!

Os moços acharam graça. Um deles disse:

Vamos procurar o tal do laço pra gente olhar ?

Os outros acharam ótima ideia. E assim os malvados foram embrenhando na mata.

Andaram que andaram que andaram cada vez mais fundo, cada vez mais longe de tudo. A floresta foi ficando escura e cheia de sombras.

Os moços acabaram indo parar numa clareira. Debaixo de um imenso pé de jatobá encontraram três sacos cheios de dinheiro. Festejaram dando dois tiros para o alto.

– A gente agora tá podre de rico!

E logo fizeram uma combinação. Enquanto um deles ia até a cidade comprar vinho para comemorar, os outros dois ficariam na clareira tomando conta do tesouro.

Um dos que ficaram, olhando aquele dinheirão, começou a fazer contas e pensou :

– Vou acabar com meu colega. Quando o outro voltar dou cabo dele também.

Assim o dinheiro fica todinho pra mim.

E o malvado não pensou duas vezes. Sacou a arma. Atirou no companheiro, matou-o e enterrou o corpo ali mesmo. Depois, acendeu um cigarro e ficou esperando sentado debaixo do jatobá.

 ………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

A dupla vencedora escreveu este final:

Depois de comprar o vinho, o homem pensou:

– Eu vou botar veneno no vinho, eles vão beber e morrer e a fortuna vai ficar só para mim!

Ele voltou para debaixo do pé de jatobá, o que estava esperando armou a espingarda e deu um tiro nele. Depois pegou o vinho e foi festejar sua riqueza: abriu o vinho e bebeu direto no gargalo.

Caiu no chão morto. Uma voz grossa disse:

– O laço fechou!

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

E o prêmio foi o CD do áudio-livro “O Pequeno Príncipe”

Parabéns à dupla Ana Pereira e Henrique!

DIA NACIONAL DA MATEMÁTICA – 6 DE MAIO

No Blog do Professor Cardy, há um post muito interessante sobre o Dia Nacional da Matemática. Vale a pena conferir! 😉

Clique aqui e saiba mais a origem sobre essa data comemorativa e também a respeito de Malba Tahan e “O Homem Que Calculava”.

A Fabiana,mãe do José Carlos, pesquisou e encontrou a “Tabuada Cantada”.

Fiquei muito contente com a sugestão e compartilho com vocês:

Quem quiser o vídeo (a irmã do José Carlos fez o download), deixe o e-mail nos comentários que eu envio, certo?

Abraços a todos e bons estudos!