Escola de Pais – 1º Encontro

Aconteceu no dia 27/08/2018 o 1º Encontro da Escola de Pais da EMEF “Felício Luiz Pereira”.

Foi um sucesso!

Agradecemos a presença de todos!

Para visualizar algumas fotos, clique:

Escola de Pais - 1º Encontro

Trecho final do texto “Quanto você ganha, papai?”:

Quanto você ganha, papai?

Essa foi a pergunta que o filho de sete anos fez ao seu pai, homem de negócios com quem ele pouco convivia. Tragado pelos compromissos profissionais do dia-a-dia, quando chegava em casa era facilmente vencido pelo cansaço, e não sobrava tempo nem para um breve diálogo com o filho. Os dias passavam, os meses se somavam e os anos se sucediam. Na vida daquele homem de negócios, a rotina era sempre a mesma: chegar em casa muito cansado, assistir ao último telejornal e entregar-se ao repouso. No dia seguinte, as cenas se repetiam. O tempo passava tão rápido que ele nem pensava em como estava crescendo seu menino. Não sabia quem eram seus professores, não conhecia seus amigos, não sabia se seu filho tinha alguma dificuldade na escola, se era feliz ou não. Afinal, pensava, um empresário não pode perder tempo com coisas pequenas.

Numa noite igual a tantas outras que já haviam passado, o homem de negócios foi abordado pelo filho com uma pergunta inesperada:

FILHO: Quanto você ganha, papai?

O pai imediatamente respondeu, como de costume, que já estava tarde e não havia tempo para conversas. O filho insistiu:

FILHO: Eu só quero saber quanto é que você ganha por hora, papai. Pode me responder por favor?

O pai, vencido pela insistência do garoto, respondeu sem pensar muito:

PAI: Ganho dez reais por hora, agora vá para cama.

O filho obedeceu e o pai foi tomar banho. Embaixo do chuveiro, o industrial ficou pensando o porquê daquela pergunta. Será que o menino estava precisando de dinheiro? Após o banho, dirigiu-se ao quarto do filho, que ainda estava acordado, e lhe perguntou:

PAI: Filho, por acaso você está precisando de dinheiro?

FILHO: Sim, papai. Na verdade eu preciso só de três reais.

PAI: Ora, não seja por isso, filho. Por que não falou antes?

Tirou o dinheiro do bolso e entregou ao filho. O garotinho pegou as cédulas e rapidamente retirou algumas notas que estavam embaixo do travesseiro e juntou às demais dizendo:

FILHO: Agora já tenho o suficiente para comprar uma hora do se tempo, papai! Eu guardei esse dinheiro para poder pagar o seu tempo, que é muito importante, como você mesmo diz. Pegue os dez reais e converse e brinque comigo por uma hora. Uma hora inteirinha só para nós dois.

O pai deu-se conta de como havia sido distraído e displicente na sua posição. Chegou ao topo nos negócios, mas negligenciou as tarefas da paternidade.

Pense nisso! Será que seu filho precisa pagar para ter um pouco do seu tempo?

Não devemos deixar o tempo passar através dos nossos olhos sem ter passado algum tempo com aqueles que realmente importam para nós, perto de nossos corações.

(Autor desconhecido)

Anúncios

“Mais zen antes de começar a aula” (Revista Nova Escola)

Resultado de imagem para meditação na escola

Fazer uma meditação rápida antes do início das aulas traz muitos benefícios.

Comecei a fazer com as turmas do 5º ano B e 5º ano C no início desse ano.

Abaixo o link para a matéria completa, publicada no site da Revista Nova Escola:

Mais zen antes de começar a aula

E aqui, um link do site Mahatma Meditação Paz nas Escolas, com mais informações e metodologia (como fazer uma meditação simples).

Vale a pena a leitura: http://mahatmapaznasescolas.com.br/metodologia/

Que tal começar você também? 😉